18.2.10

historieta

... e em um dado quartel havia soldados, como em qualquer um. havia porém, neste, um grupo distinto do grupo maior de soldados que se acha sempre em quartéis. nem por isso este quartel deixava de ser um apenas quartel. o porém se refere à grande habilidade de cada soldado deste sub-grupo em correr. tudo era feito na extrema correria neste quartel por estes soldados - e veja que neste quartel só se corria o comum de correr mesmo de quartéis. de nome corrente era cada soldado assim que corria. mais do que os demais, um corrente sempre era presente em tudo e em quando. mesmo em atraso os correntes corriam mais e estavam antes que os demais. em exercícios de correr aquela correria era natural a eles, mas esforço para os outros que andavam predominantemente. de correr tanto aquele quartel, que não era por isso destaque dentre os quartéis, ficava sempre em movimento. não o movimento habitual de quartel que vigia constante. a circulação de correntes tornava a vida do quartel fluida como em um rio. havia, por isso, soldados corredores nos outros quartéis. neste não, pois correntes. no final do dia os correntes paravam. da primeira vez do primeiro corrente no primeiro dia parar houve espanto. com o segundo dia com o segundo corrente e o terceiro e o quarto houve ainda espanto, embora cada vez menos. cada vez menos até do espanto ficar apenas um leve espasmo dentro dos demais soldados. como se o quartel soluçasse uma vez por dia. esta era a pausa diária e, deste modo, os correntes - mais do que correr de lá para cá - sinalizavam que o repouso sempre era o grande objetivo.

Nenhum comentário:

Seguidores