30.9.09

do espirro

espirrar demais atenua
o formigar da ponta do nariz
que decorre do
espirrar.

(demais tênue é a prática perfeita do espirro)

o bom espirrar é de uma vez.
aqueles 3 segundos gastos pra carregar a carga do espirro,
são acúmulo de nervos nas narinas.

(como se naturalmente o nariz soubesse do prazer nascido da angústia da espera)

a tosse, por sua vez, é sempre tentativa de suicídio pulmonar. não convém tossir neste poema.

o espirro é, antes, limpeza aérea.
disso vem a sensação de leveza de espirro
e só uma grande sabedoria percebe que,
sim,
há perigo de su'alma pular fora pelo nariz durante.

do espirro se retém o rubor da face, o lacrimejar dos olhos
e a esperança do próximo
assim que a pressão nos ouvidos diminua,
os pêlos deitem novamente pela pele.

o bom é espirrar uma vez de cada.
espirrar demais é rebeldia.

15.9.09

pequeno dicionário de exercícios poéticos

verbete: junta s.f.

a junta existe apenas na mente - sinapse do azulejo.

11.9.09

erro de continuidade

de ontem pra hoje
me faltam cabelos
_________pessoas
_________lugares
de ontem pra hoje.

de ontem pra hoje
_________o tempo
(é ele o senhor da perda).

de ontem não veio
muita coisa:
aquele pássaro, aquela pipa,
viraram nuvem -
erro de continuidade.

9.9.09

09 09 09

atenção:
não perca a contagem
desse dia
como qualquer
outro
dia.

uma data única...
como qualquer
data única.

detenha-se diante desse dia
como um qualquer
detido diante
como um dedo estendido -
os outros na mão recolhidos
9.

Seguidores