2.10.12

limites

o poema sempre
tem uma
cerca inerente

a palavra é seu limite
o leitor é seu limite
o tempo é seu limite
o poeta é o ...
o ...
o ...
sei lá...


Nenhum comentário:

Seguidores