5.3.10

historieta 3*

e nas cidades deste reino subtropical, sempre houve apenas um motor. motor de cidade não é motor que mistura o cimento da laje do prédio. é preciso deixar tudo claro, pois, em primeiro lugar, é inerente ao motor uma fome constante: quanto mais rápido maior a cidade. é preciso, em seguida, mostrar que, embora motor, seu avanço produz muito atraso – e de que outro modo se enriquece da terra, uma vez que cada palmo conquistado não se dá sem largos passos erosivos?

e o motor, que é a ganância, faz das gentes duas. pouca gente tem muita cidade. e, esta cidade destes, é oferecida aos demais por aluguel: e, pelo aluguel, a cidade desses é mais um deserto que uma cidade. com isso, muita gente dessa tem nada e sobrevive – viver mesmo, ao pé-da-letra, é luxo. sobre o motor, que é a ganância, sabemos: construir a cidade para vendê-la, nunca habitá-la, é seu motor principal. seu mote imoral.


* texto feito 'sob encomenda' para integrar o roteiro do longa de carlos segundo: 'sozinho o herói muda', em elaboração.

confira o blog de carlos segundo: http://cassfilmes.blogspot.com/

Um comentário:

Raquel Beatriz disse...

só acompanhando mesmo...


curiosa...

Seguidores