4.3.13

franqueza

o poema surge
não, não...

o poema nasce
não, não...

o poema, pra falar a verdade,
espuma
pelo canto da boca
à medida que a vida
escorre
pela ponta da língua.

Um comentário:

Arquitute disse...

O poema não espuma, ele crema heheheh.
Abraço
Ana

Seguidores