27.4.10

estopim

... o estopim de tudo
das dilacerações
das uniões
dos paradoxos

é o poema?

ou somos nós
arrastando-nos
na relva diária
correndo do leão
diário do medo diário
à luz do dia à luz da noite sob
nossas
sombras?

4 comentários:

Muryel De Zôppa disse...

gostei bem, cabra. são essas indagações, esses volteios e enfrentamentos que perplexam os dedos (e é tão bom) quando constituímos algo que nos valha enquanto 'estado'.

nêgo, marcamos pra quarta um arremedo mas não poderei figurar. ficamos pra logo logo.

bença!

Renato Almeida disse...

estopim de uma data.
postado no dia do meu níver.
ficou bacana, bacaninha!

Aleatórios disse...

Meu Oiá aí Ó !!!

http://twitter.com/fodadeesquecer

Priscilla Marchetto disse...

palavras?

=]

Seguidores